Com diagnóstico por imagem de excelência, Hospital São Vicente celebra data especial

Os exames de imagem são fundamentais em todas as áreas da medicina e em todos os níveis de cuidados da saúde, tanto na saúde pública, quanto na saúde privada. Para celebrar o dia do radiologista, comemorado neste domingo, 08 de novembro, o professor e coordenador da residência médica de radiologia do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV), Dr. Waldinei Mercês Rodrigues, ressalta a importância da área do diagnóstico por imagem na medicina preventiva e na medicina curativa, pois decisões eficientes dependem de diagnóstico correto. 

Dr. Waldinei acompanha residentes durante exame de tomografia

“A especialidade é uma das mais novas dentro da medicina. Engloba não só a parte radiológica, mas também os raios-x, ultrassom, tomografia, ressonância e medicina nuclear, que é uma especialidade a parte. Hoje, a radiologia também está subdividida em diversas outras especialidades, inclusive a parte de intervenção, disponível no São Vicente. Essas subespecialidades são as de neurorradiologia, cabeça e pescoço, tórax, abdome, entre outras. Nossa equipe é composta pelo corpo clínico, que engloba também os residentes do primeiro ao terceiro ano da residência, e os técnicos em radiologia”, conta o médico. 

O profissional também explica que o exame de raio-x é o mais realizado na instituição. “Fazemos uma média mensal de 14 mil exames. É um método que ainda é largamente utilizado, principalmente o raio-x de tórax. Já o ultrassom, que também é empregado para várias especialidades, principalmente a área do abdome, como fígado, baço, pâncreas, rins e bexiga, realizamos em média 500 exames por mês.  O método também é utilizado para avaliar outras estruturas. As tomografias são empregadas aos estudos de trauma, para avaliar desde o crânio, até partes de ossos quando possuem fraturas, avalia também alterações pulmonares, alterações abdominais agudas como apendicite, além de avaliar o pulmão e estruturas vasculares como o aneurisma de aorta e o tromboembolismo pulmonar. São aproximadamente 1.500 exames mensais”, aponta Dr. Waldinei. 

Devido a pandemia do novo coronavírus, houve um aumento de 20% no número de tomografias realizadas desde o mês de março deste ano, quando a instituição investiu em um novo tomógrafo, buscando propiciar maior tecnologia, precisão e agilidade na realização de exames. A ação foi viabilizada por meio de emenda parlamentar. Na ocasião, a sala para o procedimento também foi totalmente adequada para oferecer um serviço de excelência.

“Foi uma aquisição imprescindível. O pico da doença foi entre os meses de abril, maio e junho. A vantagem desse aparelho é que ele permite fazer cortes mais finos, reconstruções nos diversos planos, e a equipe consegue fazer diagnósticos mais precisos de várias doenças. Dessa forma avaliamos novas estruturas, especialmente em pacientes que possuem alguns tipos específicos de tumores, além de propiciar melhor estadiamento do câncer. Foi importante para nossa atuação dentro do hospital. Contamos com tecnologia de ponta, que garante a excelência do nosso atendimento”, finaliza o radiologista.

Posts Relacionados