Equipe de Ortopedia do São Vicente se prepara para realizar cirurgia inédita, com guias produzidas em 3D

Técnica propicia maior precisão e agilidade na implantação de próteses

or meio de uma parceria com a empresa Ortho System, a equipe médica de Ortopedia do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo terá a oportunidade de realizar as primeiras cirurgias de artoplastia total de joelho de toda a região, via Sistema Único de Saúde (SUS), com guias impressas com tecnologia 3D personalizadas para o paciente. 

As guias cirúrgicas impressas em 3D (guias estereolitográficos estáticos) consistem num sistema customizado de colocação de implantes, uma vez que são milimetricamente desenhadas, substituindo com grande eficiência o olho humano. “Para que isso fosse possível, o primeiro passo foi a realização da tomografia computadorizada dos joelhos de dois pacientes, ambos portadores de doenças degenerativas. A partir disso, engenheiros médicos, com auxílio de um software especial avaliaram, calcularam, estudaram deformidades e aí determinaram a guia ideal para cada paciente”, explica Dr. Marcelo Munhoz, médico coordenador do setor de Ortopedia do HSV.  

De acordo com o ortopedista, essa tecnologia possibilitará que a cirurgia seja mais simples, rápida e precisa. “Os grandes benefícios para os pacientes são o posicionamento perfeito da prótese, maior durabilidade, menos sangramento durante o procedimento que é menos invasivo e menor morbidade. Além disso, dura 30 minutos a menos que a cirurgia convencional, que tem duração de 1h30, representando a otimização no uso dos recursos do nosso Centro Cirúrgico”, destaca. 

O procedimento já é realizado nos Estados Unidos, Austrália e países da Europa, mas no Brasil ainda é novidade. “As guias foram produzidas pela empresa Microport Orthopedics, nos EUA, e já chegaram ao Brasil. Serão esterelizadas pela equipe do São Vicente. As cirurgias ainda não têm data definida”.

Segundo Fábio Matos, diretor da Ortho System, a doação dessas duas guias para que os procedimentos sejam feitos no São Vicente, se deve à instituição ser referência em ensino e pesquisa em toda a região. “Temos grande confiança no hospital e sabemos dos serviços de excelência que a instituição presta. É uma parceria de longa data, que nos permite demonstrar o que há de mais moderno em nossa área de atuação, inclusive convidando médicos de outras instituições para acompanhar os procedimentos e a qualidade técnica aplicada no São Vicente”, afirma Matos. 

 “A ideia é que os profissionais do setor de ortopedia possam ter contato e conhecer essa nova tecnologia que tende a ser o futuro da especialidade”, destaca Dr. Munhoz. O procedimento custa em torno de 2 mil dólares e devido ao alto custo ainda não é disponível de forma ampla pelo Sistema Único de Saúde.

Posts Relacionados