Hospital São Vicente desenvolve ações de conscientização e prevenção de acidentes de trabalho

O mês de abril é tido como “Abril Verde”, dedicado às ações de conscientização e prevenção de acidentes de trabalho. No Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV) a equipe de Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) vem desenvolvendo trabalho com suas equipes que têm se mostrado eficiente. “Nos últimos 19 anos, o Hospital vem reduzindo seus índices de acidentes”, explica o engenheiro Iberê Ferraz Santos, responsável pelo departamento.

Segundo ele, um dos indicadores utilizados considera o número absoluto de acidentes de trabalho em relação ao número total de colaboradores e, mesmo com o aumento do quadro de funcionários, os acidentes, proporcionalmente têm diminuído. “Em 2002 a taxa de acidentes de trabalho na instituição era de 9,88%, em 2018 atingimos a menor taxa de 3,98%, uma significativa redução de 60%, que vem sendo mantida até hoje, mesmo diante da pandemia covid-19”, destaca.

Isso indica que os pacientes do HSV estão sendo atendidos por profissionais preparados e esclarecidos quanto à prevenção de acidentes, o que aumenta também a segurança dos assistidos. Para os colaboradores, representa o desempenho de suas atividades de maneira segura e em ambiente adequado, evitando o absenteísmo por acidentes de trabalho.

Os programas de prevenção

O engenheiro explica que tais melhorias envolvem um conjunto de ações. “Programa de Capacitação e Treinamento do Trabalhador (PCET) em que envolve o treinamento do colaborador em Segurança do Trabalho desde sua integração e, na sequência, outros treinamentos dirigidos para cada área de atuação além de diversos Programas de Prevenção já implementados, destacando-se os de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), o de Controle de Obras e Trabalhos em Altura, o de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS), de Segurança em Instalações e Serviços de Eletricidade (PSISE) e de Proteção Respiratória (PPresp)”, enumera.

Além das práticas citadas acima, a pandemia exigiu a criação de novos protocolos para a garantia da segurança, cumprindo resoluções e portarias do Ministério da Saúde, entre outros órgãos de atuação sanitária. “Com isso, implantamos outras ações preventivas, ações educativas, informativos periódicos, novos equipamentos de proteção individual com certificação, sinalização de solo para orientação de distanciamento, dentre outras iniciativas”, destaca. 

Para se ter ideia, no ano de 2020 foram realizados 127 treinamentos, mais de dez a cada mês, abrangendo 1.163 colaboradores treinados em prevenção de acidentes.

Dentre os tipos de acidentes ocorridos no hospital, os que envolvem perfurações são os mais frequentes, com 60% de seu total. Em seguida estão contusão, com 8% e, igualmente com 4%, são registrados acidentes por agressão, entorse, contaminação, queda, queimadura, corte e outros em menor número.

“É direito de todos a informação sobre prevenção de acidentes bem como, também, é dever de todos colocar em prática todas as normas, procedimentos e programas de prevenção da empresa; isso, certamente, contribuirá para um ambiente de trabalho seguro e sem riscos”, conclui o engenheiro.

Posts Relacionados