Em data comemorativa, ortopedista do Hospital São Vicente esclarece as principais doenças ortopédicas que acometem a população

Por mais cuidados que tenhamos com a nossa saúde, é comum, eventualmente, acabarmos sofrendo com algumas situações incômodas. Nesse sentido, tais questões possuem origens que podem desencadear complicações ortopédicas. Antes de aprendermos mais sobre algumas maneiras de prevenir o surgimento dessas doenças, em homenagem ao Dia do Ortopedista, comemorado hoje, 19 de setembro, o ortopedista do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV), Dr. Rogério Savoy Machado, esclarece as principais doenças ortopédicas acometidas atualmente pela população, além de recomendações médicas da especialidade.

Os ortopedistas surgiram para melhorar a qualidade de vida das pessoas, buscando junto à tecnologia, desenvolver técnicas que ajudem a reparar algumas deformidades, aliviar dores e deixar o corpo o mais saudável possível, utilizando métodos clínicos, físicos e cirúrgicos para tratar e corrigir enfermidades, lesões e malformações ósseas dos músculos, tendões, articulações e ligamentos. É um profissional responsável por todos os assuntos ligados ao aparelho locomotor e esquelético.

“A ortopedia é uma especialidade de alta complexidade na medicina. A origem para disfunções ortopédicas varia de pessoa para pessoa. Entre os motivos podemos citar causas genéticas, herdadas de pai para filho, adquiridas, como traumas, lesões e fraturas, patologias que se manifestam devido ao avanço de idade ou envelhecimento, e também hábitos errados. Nossa atuação é desde o recém-nascido até o idoso”, explica Dr. Savoy.

Ortopedista do HSV, Dr. Rogério Savoy

Na infância, as principais complicações são as malformações, distúrbios da coluna, alterações de marcha que podem se relacionar com distúrbios neurológicos e doenças especificas dos quadris, por exemplo. Pacientes com idade avançada são mais propensos a doenças como osteoartrite, conhecida como ‘artrose’, diminuindo mobilidade e causando dores, temos também a osteoporose, doença muito comum que fragiliza os ossos, causando a morbidade e até mesmo mortalidade entre idosos e sarcopenia, caracterizada pela redução da força e massa muscular. Destaco ainda a grande quantidade de casos de bursite, tendinite, distensão muscular, problemas na coluna e lombalgia em idades adultas”, esclarece o especialista. O ortopedista ressalta que enfermidades como tumores ósseos, lesões traumáticas, sejam elas em domicílio, em ambiente de trabalho ou acidentes automobilísticos, além de lesões relacionadas a prática de esportes, estão presentes em todas as idades.

O profissional enfatiza a importância da procura por um ortopedista ao sentir desconfortos constantes nas regiões dos músculos, ossos e articulações, seja após um trauma ou não. O mesmo recomenda que, sempre que possível, o paciente busque por um profissional especialista da região afetada.  “Precisamos conscientizar cada vez mais nossa população a procurar por tratamentos e acompanhamentos ortopédicos, tendo em vista a importância para diagnosticar precocemente patologias, com objetivo de reforçar a segurança e qualidade de vida do paciente. É de muita relevância ainda destacar que se deve redobrar a atenção aos indivíduos entre 50 e 60 anos de idade. Devido ao processo de envelhecimento do ponto de vista ortopédico, os ossos, musculaturas e articulações nesta faixa etária são comprometidas e desta forma diminuem a qualidade de vida e aumentam o risco de morbidades”.

Savoy esclarece que as deficiências normalmente são detectadas pelos próprios pacientes ou familiares. “Ao perceber uma deformidade, diminuição de força, alteração na maneira de pisar, alterações dos membros ou distúrbios genéticos que se manifestam através do tempo, devemos imediatamente buscar auxílio de um profissional. A dor também é uma queixa muito comum que não deve ser ignorada. Por meio de avaliação clínica e exames de imagens, o profissional da área conduzirá o paciente para o tratamento a ser feito dependendo da sua idade, lesão e quadro clínico”, orienta ele.

Em relação a prevenção e promoção a saúde, Dr. Savoy reforça que não somente na área de ortopedia, mas em qualquer especialidade da saúde, o indivíduo deve manter e/ou adotar costumes saudáveis como uma alimentação adequada, prática de atividades físicas regulares, além de conhecimento sobre seu histórico familiar. “Aderir as mudanças já mencionadas na rotina pessoal colabora muito para prevenir e melhorar a qualidade de vida da mesma. Orientamos ainda que os pacientes tenham conhecimento do seu histórico genético, pois existem condições como osteoporose e osteoartrites que apresentam características genéticas que podem ajudá-lo com uma prevenção precoce, além de sempre procurar pelo acompanhamento de um especialista ortopédico”.

“A ortopedia é uma especialidade que evolui rapidamente e exige que os profissionais estejam sempre atualizados quanto as novas inovações, estudos ou procedimentos que venham promover qualidade e benefício aos pacientes”,

finaliza o especialista.

Posts Relacionados