Personagem de filme da Disney ajuda paciente em tratamento oncológico no HSV

Utilizada para imobilizar e evitar movimentos que podem alterar a área que será tratada, a máscara termoplástica é um item fundamental durante o tratamento radioterápico de pacientes oncológicos, proporcionando maior precisão e conforto aos que necessitam do cuidado. Independente da idade, o processo é um desafio tanto físico, quanto mental, já que exige carinho, acolhimento e paciência não só do paciente, mas de todos os envolvidos. Neste mês, a pequena Lúcia Sofia Bezerra de Souza Costa, de 7 anos, iniciou no Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV) a primeira de 17 sessões de radioterapia contra o Linfoma de Hodgkin, um tipo de câncer sanguíneo. Tradição na unidade, que é referência para toda a região de Jundiaí, a pequena recebeu uma máscara especial para enfrentar essa batalha. 

Vanessa e Lúcia ao lado de Camila

Apaixonada por princesas da Disney, a preferida da paciente é a Elsa, da animação Frozen: Uma Aventura Congelante e, por isso, sua máscara foi personalizada com o desenho e características da personagem. Feito com linha de crochê, até o penteado da princesa protagonista foi recriado. “Eu gostei muito. Escolhi a Elsa porque ela é gelada e diferente das outras princesas”, compartilha Lúcia em uma fala inocente e de grande significado dentro da diversidade.

A técnica de radioterapia, Camila Ferreira Souto Silva, foi quem deu vida ao projeto e se empenhou na confecção do objeto. “Temos um protocolo diferenciado quando recebemos pacientes infantis. O objetivo é dar um tratamento mais colorido e menos traumático. Pintei a máscara com um tom de rosa bebê para desenhar a cabeça e o pescoço e meu colega de trabalho Thiago Furlan, que também é técnico, deu a ideia de comprar um cabelo falso, com linha. Os olhos e a boca nós imprimimos uma foto da Internet no papel de foto e colamos com dupla face. Minha irmã Dariana Palamarzuk cuidou dos acabamentos finais. Me sinto muito grata por poder alegrar uma criança nesse momento tão difícil e poder saber que ela sempre irá entrar para a sessão com um sorriso no rosto”.

A mãe da paciente, Vanessa Bezerra, conta que descobriu a doença da filha ao notar um caroço no pescoço da criança. “Ela nunca reclamou de dor e só descobrimos porque vi um caroço no pescoço dela. Por isso eu digo aos pais para acompanharem de perto as mudanças físicas dos filhos, pois foi essa ação rápida que garantiu a possibilidade de tratamento dela”. O primeiro atendimento foi em janeiro e, desde então, Lúcia já fez cirurgia, passou por quimioterapia no GRENDACC – Grupo em Defesa da Criança Com Câncer – e agora inicia mais uma fase do tratamento no HSV.

“Estamos sendo muito bem acolhidas aqui, principalmente a Lúcia que é mais retraída, mais fechada. Os médicos são ótimos e ela está sendo muito forte. Nosso foco agora é a recuperação dela. Agradeço muito ao Hospital São Vicente e a todos da radioterapia pela ação, por terem essa iniciativa de fazer a máscara para ela”, compartilha Vanessa.

Posts Relacionados