Festas de final de ano precisam de cuidados especiais

Final de ano sempre foi sinônimo de confraternizações, eventos, reuniões com amigos e familiares. Mas neste ano, em março, desde que a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou o estado de pandemia da covid-19, muita coisa mudou. Nem imaginávamos que em dezembro ainda estaríamos vivendo o “novo normal”, mas cá estamos nós. Natal e festa de Ano Novo serão diferentes, grupos reduzidos, alguns solitários, muito contato virtual e cuidados especiais. Tudo em nome da segurança e do amor pelas pessoas queridas e especiais.

O médico clínico geral e reumatologista, Dr. José Celso Giordan Cavalcanti Sarinho, que integra a equipe médica do Comitê Interno Covid-19 do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV) dá algumas orientações para os casos em que não é possível manter o isolamento social.

 “Se você for receber ou visitar amigos e familiares, o importante é evitar o contato próximo e as demonstrações de afeto por meio de beijos e abraços, manter distanciamento, não abrir mão do uso de máscaras e fazer o uso do álcool em gel”, orienta.

Outros cuidados que podem ser adotados são o uso de sanitizantes para os calçados na entrada da casa ou deixar o calçado para o lado de fora. Na hora da ceia, é importante que as cadeiras estejam com distanciamento de 1 metro entre elas e que todos usem luvas descartáveis e individuais para tocar os utensílios que servem a ceia. Se for possível, usar pratos, talheres e copos descartáveis. 

De acordo com o médico o risco principal está no fato de existirem entre os convidados pessoas contaminadas pouco sintomáticas ou assintomáticas, que, por se sentirem bem, podem acabar contaminando os demais.

“Sabemos que passaremos por períodos de festas que, caracteristicamente, estão relacionados a encontros de muitos familiares e amigos, mas devemos levar em conta que também passamos por dias difíceis, e não queremos que esses momentos de alegria das festas, possam levar a uma doença ou mesmo a perdas nos dias seguintes”, destaca.

Se todos os convidados tiverem mantido isolamento antes do encontro, também é uma garantia a mais para a segurança. “Se todos estiverem assintomáticos, neste período, o risco é menor. Porém, caso alguém apresente algum sintoma, é melhor que participe dos festejos somente no ano que vem”, recomenda.

Posts Relacionados